Palmital - Município está descartado da condição de ser unidade sentinela para receber detentos com suspeita ou contaminados pela Covid-19 - Portal Douglas Souza - Notícias da Região.

Notícias

Post Top Ad

Post Top Ad

sexta-feira, 8 de maio de 2020

Palmital - Município está descartado da condição de ser unidade sentinela para receber detentos com suspeita ou contaminados pela Covid-19

Portal Douglas Souza

Segundo o deputado Artagão Júnior, Palmital não será unidade sentinela para receber detentos com suspeita ou contaminados pela Covid-19


Fala do deputado Artagão ao prefeito Ney


"Prefeito, hoje estou te ligando para dar o retorno oficial de sua ligação. Um pouquinho antes das 7:00h da noite, acabei de receber a ligação do secretário de segurança, Coronel Marinho, confirmando que toda nossa mobilização, argumentos apresentados, questionamentos feitos, fizeram com que a secretaria modificasse seu pensamento.


Eu posso compartilhar com o amigo agora, que graças a sua ligação de ontem, toda a mobilização que ocorreu de ontem até hoje, definitivamente Palmital está descartado desta condição de unidade sentinela, ou seja, toda aquela situação que tomou conta da preocupação da sociedade palmitalense de ontem pra hoje pode ser eliminada daqui pra frente e nós não teremos mais esta situação acontecendo na delegacia de Palmital."


O deputado complementa dizendo que esta é uma notícia boa para que a gente possa passar nosso final de semana tranquilos.


Palmital, município sem caso de coronavírus, é escolhida para receber presos com suspeita da doença; veja abaixo a matéria publicada pela Gazeta do Povo



Os moradores da cidade de Palmital na Região Central do Paraná estavam relativamente tranquilos – sem nenhum caso de novo coronavírus na localidade e também num raio de 100 quilômetros – até que se espalhou a notícia de que o governo do Paraná pretende mandar para o município presos com suspeita de Covid-19. Palmital, que tem 15 mil habitantes, nenhum hospital nem presídio, entrou em alvoroço.


O ofício chegou para a juíza local, que prontamente despachou alegando, com base em informações de outras autoridades, como o delegado, que a cidade não tem condições de receber presos doentes. Quem conta a história é a procuradora-geral do município, Araceli Daiana Aguiar Bonassoli. Ela afirma que várias medidas estão sendo tomadas para evitar a chegada dos detentos supostamente contaminados. Até um projeto de lei em caráter de urgência passou a ser elaborado.


Araceli comenta que a cidade conta apenas com uma delegacia, com carceragem improvisada. A proposta seria transferir os cerca de 20 presos para outro município e passar a abrigar apenas presidiários doentes, vindos principalmente de Guarapuava, que fica a 135 quilômetros de distância. A procuradora consultou o plano de ação do Departamento Penitenciário do Paraná (Depen-PR) e declara que consta no documento que a cidade de referência para receber presos na região seria Pitanga, que fica a 72 quilômetros de Palmital.



"“A cidade ficou em polvorosa”, comenta. “A informação foi disseminada muito rapidamente e começaram as reações”, acrescenta. Segundo Araceli, a população teme que a chegada dos presos possa espalhar o vírus pela cidade, além de questionar a falta de estrutura pública para lidar com a situação. De acordo com a procuradora, mesmo sem nenhum caso da doença, vários cuidados estão sendo tomados, como distribuição e uso de máscaras, além de restrições nos comércios.


Procurado, o Depen-PR não se manifestou até a publicação desta reportagem.(Com Gazeta do Povo).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad