https://i.ibb.co/6y2ZDDq/PUB01.gif

Técnico em enfermagem, Lourival Latzuk fala sobre hipertensão arterial

A pressão arterial é responsável por empurrar o sangue bombeado pelo coração, pelas artérias, levando o suprimento necessário aos demais órgãos. Quando a pressão está alta, o coração faz mais força para bombear o sangue, porque com a idade as artérias ficam menos complacentes e oferecem mais resistência à sua passagem

Arte - Juliane Bales/Central Multimídia

Uma das doenças silenciosas que acometem a maioria da população mundial é a hipertensão arterial. Segundo dados da Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), atualmente, 33% dos brasileiros sofrem com a doença, também conhecida como “pressão alta”. A hipertensão merece cuidado, pois a doença pode levar a outras conseqüências graves, como doenças cardiovasculares, acidentes vasculares e insuficiência renal.

A pressão arterial é responsável por empurrar o sangue bombeado pelo coração, pelas artérias, levando o suprimento necessário aos demais órgãos. Quando a pressão está alta, o coração faz mais força para bombear o sangue, porque com a idade as artérias ficam menos complacentes e oferecem mais resistência à sua passagem.

Esta força pode acarretar em lesões nas paredes das artérias, e resultar em um derrame (acidente vascular cerebral), a insuficiência cardíaca (coração grande) e a insuficiência renal (uremia). A hipertensão é uma das principais causas de doença renal e pode causar paralisação dos rins.

Os rins também sofrem com a hipertensão
Por ser considerada uma epidemia silenciosa, existe uma preocupação para esclarecer os malefícios da hipertensão. A pressão alta, é uma doença muito comum que acomete uma em cada cinco pessoas. Entre os idosos ela chega a atacar uma em cada duas pessoas. Também as crianças podem sofrer de pressão alta.

Mas o que a pressão alta tem a ver com a insuficiência renal? 
A relação entre a hipertensão e a saúde dos rins é muito próxima. O que é acontece é que as artérias e arteríolas renais também são afetadas, resultando em perda progressiva da função excretora dos rins, o que leva ao aumento da pressão arterial.

Aferir a pressão deve se tornar uma atitude regular na vida das pessoas. A maioria dos hipertensos não apresenta nenhum sintoma no início da doença.  A pessoa pode sentir dores de cabeça, cansaço, tontura e ter sangramentos pelo nariz. A única maneira de saber se a pressão está alta é aferi-la regularmente. Considera-se como pressão normal a que está igual ou menor que 130/80 mm Hg (13 por 8).

Prevenção: cuidados com a alimentação
Entre os fatores que podem ser responsáveis pela hipertensão estão a hereditariedade, que pode estimular uma pré-disposição a doença; a idade; o peso, a obesidade é um fator de risco; além da falta de exercícios físicos; estresse; consumo de álcool; má alimentação com o excesso de sal e o tabagismo.

A regra de ouro para uma alimentação saudável é minimizar o consumo de alimentos muito processados e fazer de base da nossa alimentação os alimentos In Natura.

Com certeza essa é a principal orientação para prevenir também a hipertensão arterial, visto que reduzindo o consumo de alimentos industrializados, estaremos reduzindo o consumo de sódio. Outro fator importante é que aumentando o consumo de alimentos in natura, estaremos consumindo mais potássio, o que ajudaria no controle da pressão também.

O sal é muito perigoso e tem relação direta com a hipertensão. Seu consumo deve ser moderado e se possível, substituído por outros temperos.

Tratar a hipertensão exige muito esforço dos pacientes. Apesar de não ter cura, seguindo as orientações médicas e tendo aderência ao uso de medicamentos, conforme orientação médica, é possível ter boa qualidade de vida.

[Entrevistado: Lourival Latzuk, técnico em enfermagem, inscrito no Coren/PR 766.827].

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
https://i.ibb.co/64yJqg1/PUB02.gif
https://i.ibb.co/6y2ZDDq/PUB01.gif
https://i.ibb.co/6y2ZDDq/PUB01.gif