https://blogger.googleusercontent.com/img/b/R29vZ2xl/AVvXsEiI-1ys1n_67SBduIdqWDQVXRtQLb9uS2VzZroFi6dX8lP8X0Fp4cGvX6ENoY3vHbyCG7l6ZM7m1eA92VI9TOQyorz_p8jXJNdwgPOViPG70RFM68CsQ_YTAgUU6PgSe7DFEqCWaKOwzvAtIRVIujhAEt4fBPdESk6F-GQYzbX3WP9YrIz3suL0xrL7/s730/N01.gif

Em Pitanga, desabafo de paciente traz à tona problema crônico dos hospitais

Paciente tetraplégico ficou à espera de médico durante quatro horas. Porém, hospital de Pitanga trabalha com déficit mensal de R$ 150 mil

Foto - Reprodução/RSN

Um desabafo feito por um paciente tetraplégico mostra a situação precária do hospital São Vicente de Pitanga. De acordo com Carlos Krensiglova, depois de esperar um ano para fazer uma consulta, chegou no dia agendado e não conseguiu o atendimento. Conforme o paciente disse ao Portal RSN, ele ficou cinco horas deitado numa maca à espera do médico. No entanto, teve que retornar para casa sem o atendimento.

De acordo com o médico Eduardo Magrin Barros, diretor geral do São Vicente, o problema com Carlos foi pontual. “Em cirurgias há intercorrências e acabam atrasando os horários agendados. Isso ocorreu com esse paciente. Mas entendo que houve uma falha na recepção. Esse paciente seria prioritário por encontrar-se deitado numa maca. Mas ele já foi chamado hoje [15], consultou e fará cirurgia daqui cerca de 30 dias”.

A situação vivenciada por Carlos, no entanto, chama a atenção para um problema que não é isolado. A falta de recursos para os hospitais filantrópicos coloca pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) em situação ainda mais vulnerável. Conforme Eduardo Barros, dos 91 leitos disponíveis no hospital, o SUS ocupa cerca de 80%.

No entanto, a unidade atende um universo de 69 mil habitantes. São pacientes oriundos da microrregião que agrega, além de Pitanga, Boa Ventura de São Roque, Laranjal, Palmital e Santa Maria do Oeste. “Diariamente chegam carros desses municípios trazendo quatro ou cinco pacientes cada e de uma só vez. Isso aumenta a nossa demanda”.

Conforme o médico, desses municípios, apenas Santa Maria do Oeste e Laranjal contribuem financeiramente nessa parceria. “Os prefeitos de Palmital e Boa Ventura de São Roque se mantém reticentes, apesar das várias reuniões que fizemos”.

PROBLEMA ESTRUTURAL
Fundado em 1946, sendo gerido pela Irmandade São Vicente de Paulo, o hospital conta com 40 médicos, a maioria terceirizada. Apto a atender procedimentos de média complexidade, no entanto, há déficit mensal que flutua numa média de R$ 150 mil. De acordo com o diretor, o custo por mês gira em torno de R$ 950 mil.

“Se não fosse o repasse que é feito pela Prefeitura, já teríamos fechado”. De acordo com Eduardo Barros, o município banca cerca de 50% dos custos mensais. “Trata-se de um problema estrutural gerada pela tabela do SUS que está desatualizada há 20 anos”.

Ele cita como exemplo o valor de um parto por cesariana. “O SUS paga R$ 320 por procedimento. Mas precisamos de equipe com um obstetra, anestesista, pediatra, profissional de enfermagem. Além da medicação e outros insumos. Portanto, a conta não fecha”.

Por fim, para tentar minimizar essa situação, está sendo montada uma força-tarefa com hospitais da Região. “Vamos pressionar o Governo para que melhore o repasse feito aos hospitais”. (Com Portal RSN).


Quer ficar por dentro das principais notícias da região? Então acompanhe o Portal Douglas Souza nas redes sociais, clicando nos seguintes links: WhatsApp | Facebook | Instagram

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
https://blogger.googleusercontent.com/img/b/R29vZ2xl/AVvXsEh9s_lMK7Az2PtqFRjVLJM1Jr1PPl4K9hJX9TFHZp032cR6fCwsmhToxFK1nMUPiaVJ6sYtRVCpzNzRc8lL9L0MQ7iAEDjKZajh7HOBCS8znEJKRw0t95yvvuc4JyMwEMeORl0G4F0VC7343nT-OnvJvWMKT0h7SQReKffBIPGOxSbHNXVmJ0eDv39c/s16000/N02.gif
https://blogger.googleusercontent.com/img/b/R29vZ2xl/AVvXsEiI-1ys1n_67SBduIdqWDQVXRtQLb9uS2VzZroFi6dX8lP8X0Fp4cGvX6ENoY3vHbyCG7l6ZM7m1eA92VI9TOQyorz_p8jXJNdwgPOViPG70RFM68CsQ_YTAgUU6PgSe7DFEqCWaKOwzvAtIRVIujhAEt4fBPdESk6F-GQYzbX3WP9YrIz3suL0xrL7/s730/N01.gif
https://blogger.googleusercontent.com/img/b/R29vZ2xl/AVvXsEiI-1ys1n_67SBduIdqWDQVXRtQLb9uS2VzZroFi6dX8lP8X0Fp4cGvX6ENoY3vHbyCG7l6ZM7m1eA92VI9TOQyorz_p8jXJNdwgPOViPG70RFM68CsQ_YTAgUU6PgSe7DFEqCWaKOwzvAtIRVIujhAEt4fBPdESk6F-GQYzbX3WP9YrIz3suL0xrL7/s730/N01.gif