https://blogger.googleusercontent.com/img/b/R29vZ2xl/AVvXsEj8VdT23IlvNqVZNx0YiDXXU700tGOJAt1WL6gU1yJXqSQmwPlqhQM3Dfl4M-ppzuF9NaihEbNNYE01gBtz3LC49zcdQdafkzxs4nkm-JhQKjgaJaW0sQCux5Anwqjfg1fzaDQyCK6azLoh-BbP3OX15Bsp_7Hi7IBzQ8GfpARb_0bm8j_C40783IY9/s730/N01.gif

Polícia Civil instaurou 4 inquéritos contra suspeitos de participação em ataque em Guarapuava

Polícia Civil disse que não sabia da operação feita pela PM e que acabou na morte do suspeito Robson da Luz Tavares

Foto - Reprodução/RSN

A Polícia Civil instaurou quatro inquéritos para apurar a possível participação de três suspeitos no ataque ocorrido no domingo de Páscoa em Guarapuava. De acordo com o delegado-chefe da 14ª SDP o quarto investiga a morte de Robson da Luz Tavares ocorrido ontem (27) na Vila Bela. Conforme Rubens Miranda, as investigações estão sendo presididas pelo delegado-adjunto Alisson Souza. Ele tem 30 dias para concluir o inquérito.

Entretanto, segundo Miranda, a operação que acabou na morte do suspeito não teve a participação da polícia civil ou judiciária. Apenas pela PM. “As investigações cabem à polícia judiciária. Mas nesse caso estamos com uma força-tarefa que envolve as polícias civil, militar, federal, rodoviária. Além dos institutos. Mas não sabíamos dessa operação”.

Num relato com base em depoimento da Polícia Militar, Miranda disse que há a informação de que Robson atuaria como uma espécie de ‘hospital’ na noite dos ataques. Ou seja, a pessoa encarregada da abrigar possíveis marginais feridos. Enquanto um dos outros suspeitos presos agiria como ‘guarda-roupa’. Ou aquele responsável por guardar armas, munições e drogas da quadrilha.

Na casa dos suspeitos também foram encontradas drogas e um revólver calibre 38. Nesse último caso, o suspeito tem direito a pagamento de fiança. No entanto, o delegado não disse se este pagou ou não.

A MORTE DE ROBSON
De acordo com o delegado Rubens Miranda, a PM contou que chegou à casa onde Robson morava. Na chegada a equipe ouviu o barulho de sofá sendo arrastado, como sendo para formar uma ‘barricada’. Conforme o relato, policiais arrombaram a porta e viram que havia um homem, uma mulher e um cachorro Pittbul. Em virtude da raça do cão, a equipe mandou a mulher tirar o cachorro para fora. Também pediu que o homem erguesse os braços para cima. Todavia, segundo o delegado, Robson se aproximou da geladeira e os policiais o perderam de vista.

Contudo ao entrarem na casa, Robson já estava com um fuzil nas mãos e apontou para um dos policiais. Essa reação teria provocado os tiros fatais.

SIGILO
Conforme o delegado Alisson Souza, durante as investigações a Polícia Civil necessita manter o sigilo. Isso, sob a pena de atrapalhar o andamento do inquérito. Em relação ao número de tiros disparados contra o suspeito, ele disse que aguarda o laudo do Instituto Médico Legal (IML). Allison também afirmou que a sociedade rpecisa entender que não se trata de roubo qualquer. “Se trata de uma organização profissionalmente organizada”. (Com Portal RSN).


Quer ficar por dentro das principais notícias da região? Então acompanhe o Portal Douglas Souza nas redes sociais, clicando nos seguintes links: WhatsApp | Facebook | Instagram

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
https://blogger.googleusercontent.com/img/b/R29vZ2xl/AVvXsEjzzAnL6GGIcj4wYekGUKikrrN7ypJs1TPiJlBH_rlxO3YnVoWt8gq_rBsXH47JT2-gvhqS8A09BWy03lbJksRzcgTcqL2baXonkSz3GezIqE2m7-7kY0PTFVmpeo4jogXZ-Rxxh6f5oIFiDqUihfMCn6s8WuRtxp98oVe7Mdipe2Jaq7LhX5CkSFzk/s730/N02.gif
https://blogger.googleusercontent.com/img/b/R29vZ2xl/AVvXsEj8VdT23IlvNqVZNx0YiDXXU700tGOJAt1WL6gU1yJXqSQmwPlqhQM3Dfl4M-ppzuF9NaihEbNNYE01gBtz3LC49zcdQdafkzxs4nkm-JhQKjgaJaW0sQCux5Anwqjfg1fzaDQyCK6azLoh-BbP3OX15Bsp_7Hi7IBzQ8GfpARb_0bm8j_C40783IY9/s730/N01.gif
https://blogger.googleusercontent.com/img/b/R29vZ2xl/AVvXsEj8VdT23IlvNqVZNx0YiDXXU700tGOJAt1WL6gU1yJXqSQmwPlqhQM3Dfl4M-ppzuF9NaihEbNNYE01gBtz3LC49zcdQdafkzxs4nkm-JhQKjgaJaW0sQCux5Anwqjfg1fzaDQyCK6azLoh-BbP3OX15Bsp_7Hi7IBzQ8GfpARb_0bm8j_C40783IY9/s730/N01.gif